Ken Loach estreia novo filme sobre a nocividade dos trabalhos modernos

Você Não Estava Aqui, novo filme do diretor britânico Ken Loach, apresenta a exaustiva rotina de trabalho de uma família de classe média da Inglaterra após o pai, Ricky Turner (interpretado pelo ator Kris Hitchen), entrar em um novo emprego de entregador autônomo. Mais uma vez, Loach e Paul Laverty (respectivamente diretor e roteirista do filme) trabalham juntos em um longa-metragem crítico, que evidencia um problema social escondido.

Diferentemente de outros cineastas que possuem uma marca cinematográfica própria, os filmes de Loach podem ser observados como um trabalho em dupla. Seus filmes são quase inteiramente baseados no roteiro e na atuação de seus atores. Você Não Estava Aqui é um filme cru. Não existe catarse. Não possui uma trilha sonora com efeito dramático. Não tem muitos movimentos de câmera. É simplesmente a vida como ela é, como diria Nelson Rodrigues.

Cena em que Ricky Turner faz a entrevista para ser entregador autônomo. Foto: Divulgação

Com apenas o desenrolar dos problemas familiares, Loach e Laverty conseguem fazer com que o espectador fique angustiado do começo ao fim do filme. É a própria sensação de falsa liberdade em que Ricky se sujeita como “trabalhador autônomo” que incomoda o espectador. Como alguns especialistas dizem hoje em dia: é a uberização da vida. Laverty deu sua explicação em entrevista ao jornal El País: “[O filme] é uma tentativa de olhar para o caos da vida moderna, dominada pela tecnologia, que, muitas vezes, promete nos libertar, mas nos escraviza”.

Mas, na brecha do caos, o amor resiste. Mesmo com uma vida extremamente conturbada para todos os integrantes da família, eles ainda sentem carinho e respeito entre si. Mesmo que o filho mais velho, Seb (Rhys Stone), seja rebelde com a família, no fundo, ele se preocupa com a saúde física e mental do pai. (A cena em que ele vai até o quarto para prestar ajuda ao pai após ser assaltado é muito emocionante). Na realidade, as desobediências dos filhos foi a forma que eles encontraram para expressar sua revolta com a realidade em que Ricky estava se sujeitando para manter o trabalho.

Porém, mesmo com todos os problemas que o trabalho lhe causou, Ricky continua a fazer suas entregas. O filme acaba, mas o inferno continua. Afinal, todos nós temos que pagar nossas contas.

Você não estava aqui é um soco no estômago. Um filme absolutamente político, que não se faz preciso citar empresas ou formas de governo. Um filme moderno – apesar dos 83 anos do diretor. É mais um ótimo trabalho da dupla Loach e Laverty.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s